Ulbratech firma convênio com rede de inovação espanhola


O vice-reitor da Ulbra Ricardo Willy Rieth e o diretor do Parque Científico, Tecnológico e Empresarial da Universidade Jáume I de Castello (Espaitec), Francisco Negre Nedall, oficializaram nesta quinta-feira, 20 de outubro,  um acordo bilatera,l entre  a Ulbra e a Rede Valenciana de Parques e Incubadoras Tecnológicas, para o desenvolvimento de projetos na área da Saúde.  

A assinatura do termo de cooperação com a Instituição espanhola foi realizada durante cerimônia solene no plenário da reitoria, no prédio 10 do campus Canoas, e contou com a participação do diretor da Ulbratech, Marcio Machado da Silva. Na ocasião, o gestor saudou a iniciativa que, conforme garante, permitirá um importante intercâmbio de conhecimentos entre as partes envolvidas. "A ideia é que pesquisadores e empresários vinculados à Ulbratech possam viajar, tenham uma porta de entrada para oportunidades de negócio no exterior e que, em contrapartida, as startups espanholas possam utilizar a infraestrutura da Ulbra para conduzir pesquisas e investigações no Brasil", pontuou Silva durante a abertura do evento.  Ao saudar o pacto de cooperação entre as duas instituições, o vice-reitor enfatizou a relevância da inovação tecnológica para a superação de crises econômicas. "Mesmo que nós conseguíssemos superar todas as circunstâncias de uma crise financeira global, isso não seria frutífero se voltássemos ao mesmo patamar em que estávamos antes. É aí que entra o nosso desafio de inovar e encontrar soluções científicas e tecnológicas para os problemas da sociedade", ponderou.   

Nedall, que também é vice-presidente e diretor da comissão de financiamento da Associação de Parques Tecnológicos da Espanha (APTE) também demonstrou sua satisfação com o acordo. Em palestra, realizada no mesmo local, logo após o término do ato solene, o CEO estrangeiro apresentou dados estatísticos da Fundação Cotec, organismo espanhol de fomento à inovação, comparando as posições ocupadas tanto pelo Brasil, quanto pela Espanha em um ranking de desenvolvimento econômico sustentável internacional.  "O Brasil tem proporções continentais e possui um mercado consumidor muito amplo e diversificado, o que é um ponto extremamente positivo para a prospecção de negócios e para  a inovação científica e tecnológica, uma vez que o país pode funcionar como um grande laboratório para a experimentação de novos produtos e serviços", avaliou o empresário e professor da Espaitec.  

Marcus de Freitas Perez
Jornalista MTb:17.602